Ingredientes: Cavalinha, Alcachofra, Bugre Porangaba, Centella Asiática, Chá Verde, Hibisco e Sene. Não Contém Glúten.


Sugestão de consumo: 1 colher de sopa em 200ml de água fervente por 3 a 4 minutos. Manter abafado por 10 minutos. Coar e servir. Ideal tomar de 2 a 3 xícaras por dia.


Embalagem disponível: Pacote com 100 gramas.


PRODUTO BRASILEIRO

Imagens ilustrativas

Composto Gold 7 Ervas - pct 100 gr

REF: 7898537481453
R$13,90Preço
  • Este composto de chás da DiCastro é indicado como auxiliar em processo de regimes alimentares que visem o emagrecimento, por previnir e reduzir depósitos de gorduras, agindo também contra o surgimento de celulites e reduzindo as já existentes.

    Sua composição:

    CAVALINHA:

    Popularmente se chama de Cavalinha pois, seu nome, latino, é derivado de "equi" (= cavalo) e "setum" (= cauda). Trata-se de uma planta perene, cujos caules desfolhados lembram aspargos e, quando morrem, dão origem a caules ocos, ásperos e fortes, onde crescem folhas duras semelhantes ao junco e à cauda de um cavalo. O chá de Cavalinha é indicado para osteoporose, acido úrico, anemia, ansiedade, arteriosclerose, bexiga, blenorragia, cálculos renais, celulite, estrias, rins, pulmões, o baço, flacidez da pele e músculos, enurese, menstruações excessivas, obesidade, pedra na vesícula e rins, pressão alta, retenção de líquidos, reumatismo, estresse; além de como diurético e desintoxicante.

    ALCACHOFRA:

    A Alcachofra  é uma planta cultivada no mundo todo, mas de origem europeia. Essa leguminosa é muito apreciada devido às seus poderes medicinais. No território brasileiro, a alcachofra é plantada em larga escala nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Existem várias maneiras para o consumo dessa planta, incluindo a sua infusão. Alguns dos nutrientes encontrados nela são as vitaminas A, B e C e também os minerais: cobre, enxofre, cálcio, iodo, potássio, sódio, zinco, manganês, ferro e fósforo. Entre os benefícios da Alcachofra:

    • Doenças no fígado obtém melhora com o consumo da alcachofra;
    • Diminui o colesterol ruim (LDL);
    • É um laxante natural que não irrita a mucosa dos intestinos;
    • Atua como um tônico digestivo;
    • Tem propriedades diuréticas, depurativas e estomáquicas;
    • Ajuda a combater as gorduras do organismo, logo, é emagrecedora;
    • As folhas da alcachofra conseguem reduzir a taxa de açúcar no sangue, dando maior controle à diabetes, à hipertensão e à anemia

    BUGRE PORANGABA:

    Conhecido no Brasil também como porangaba, o chá-de-bugre  é uma pequena árvore originária de nosso país, que também é encontrada na Argentina e Paraguai, sendo também  conhecida por café do mato, já que seus frutos parecem com os do café torrado e com eles se produz uma bebida que substitui o café. Esse chá tem diversas indicações de uso, mas, talvez a mais procurada seja a de emagrecedor. A planta é usada no preparo do fitoterápico bastante conhecido, Pholia magra, que é para esse fim, além de inibidor do apetite. Como a ação desse chá é de causar a sensação de saciedade, deve ser tomado antes das refeições por quem deseja usá-lo no emagrecimento. Ele é poderoso diurético, eliminando as toxinas do organismo através da urina, estimula a circulação sanguínea, mais um motivo por que reduz a celulite. Ele funciona na queima de gorduras abdominais profundas, sendo usado em compostos que utilizam a complementação de outras plantas medicinaisestimulantes, como o ginseng, guaraná, chá verde, etc. que, somados à cafeína contida no chá-de-bugre, os torna estimulantes poderosos, que também contribuem para a queima calórica. As pessoas que sofrem com ansiedade, insônia, nervosismo, estresse, etc. devem tomar muito cuidado com o consumo, por causa desses efeitos estimulantes, assim os que sofrem de problemas cardíacos ou hipertensão, já que ele tem ação cardiotônica, ou seja, é uma espécie de tônico para o coração, mas, como pode interagir com outros medicamentos, não pode ser tomado sem conhecimento de seu cardiologista. Outro cuidado importante com o uso: como é diurético, é imprescindível que se beba muita água enquanto se faz uso dele, para que não aconteçam problemas ligados à hidratação do organismo, além de se repor os minerais perdidos na eliminação da urina. Entre as indicações deste chá:

    • Previne câncer;
    • Celulite;
    • Febre;
    • Herpes;
    • Obesidade;
    • Perda de peso;
    • Má circulação;
    • Cicatrizante de feridas;
    • Antivirótico;
    • Cardiotônico;
    • Inibidor de apetite;
    • Diurético;
    • Febrífugo;
    • Estimulante.

    CENTELLA ASIÁTICA:

    Auxilia nos tratamentos de insuficiência venosa. Melhora a circulação sanguínea e os sintomas da celulite. A Centella Asiática é normalizador da circulação, vasodilatador, calmante, câimbras, refrescante, anticelulítico e preventivo de rugas. É estimulante e diurético, atua no tratamento de dermatoses, eczemas, reumatismo, rachaduras da pele, varizes, psoríase, gordura localizada, pernas pesadas e doloridas, além de estimular a produção de colágeno. O efeito diurético que faz a centella asiática emagrecer acontece por desinchar nosso corpo, já que elimina completamente a retenção hídrica causada pelo sódio, eliminando diretamente o principal causador da retenção, o sódio.

    CHÁ VERDE:

    Cultivado quase exclusivamente para ser bebido, o chá é talvez a planta medicinal mais subestimada do mundo. Inúmeros estudos apontam para as propriedades benéficas da folha do chá, sobretudo do chá verde ou branco não fermentado. Estes chás contêm niveis elevados de polifenóis, que têm uma forte ação antioxidante. Planta da família das Theaceae, também conhecida como chá, chá-da-índia, chá-preto. Chá verde é um tipo de chá feito à partir da infusão da erva Camellia sinensis. É chamado de verde porque as folhas da erva sofrem pouca oxidação durante o processamento, o que não acontece com as folhas do chá preto. Algumas outras ervas são vendidas a título de chá verde, porém o verdadeiro chá verde é o feito a partir da erva Camellia sinensis. Muito popular na China e no Japão, há pouco tempo começou a ser consumido com maior freqüencia no ocidente, tradicional consumidor de chá preto, devido tanto a uma tendência orientalista, quanto às propriedades anti-oxidantes a ela atribuídas. ção do chá verde difere um pouco dos chás tradicionais. A água não deve estar fervendo, pois do contrário as folhas acabam sendo cozidas e proporcionando um gosto amargo à bebida. O tempo de infusão também não deve ser maior que 3 minutos. Parte utilizada: Folhas e flores. A planta e nativa da Asia oriental (nordeste da india e sul da China), onde e cultivada extensivamente. O cha-preto e o chá verde são originarios da mesma planta, a Camellia sinensis. O cha-preto possui a cor escura devido a um processo de oxidação das folhas, enquanto o chá verde e produzido das folhas em estado natural. Até a invenção acidental do chá preto na China, durante o século 17, o chá não era dividido por cores, e era processado de maneira simples, a partir de folhas secas picadas, ou transformado em um bolo, comparavel ao Pu-erh. As folhas secadas e curadas da Camellia sinensis tem sido usadas medicinalmente por mais de 5.000 anos. A medicina chinesa tradicional recomenda beber o chá verde para a prevenção de doenças, o que ainda e considerado como uma prática saudável na Asia. O chá verde e menos popular nas Americas do que o cha preto. Estudos indicam que o chá verde é rico em substâncias antioxidantes, chamadas polifenóis, que evitam a ação destrutiva das moléculas de radicais livres que degeneram as células, auxiliando, por exemplo, no combate ao câncer e ao envelhecimento. O chá verde também é rico em tanino que faz diminuir as taxas do LDL (colesterol ruim) e fortalece as artérias e veias favorecendo a prevenção de doenças cardíacas e circulatórias. Possui bioflavonóides e catequinas: substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores. Indicado no combate aos radicais livres e ao envelhecimento precoce, combate o colesterol ruim e previne doenças circulatórias. Diminuir o risco de cárie, dor de dente, eliminar gorduras, emagrecimento, estomatites, ajudar na digestão, ajudar a dilatar os brônquios, melhorar a respiração dos asmáticos, inibir ensima associada ao desenvolvimento de tumores de intestino, esôfago, pulmão e pele, proteger a parede do intestino, fortalecer o coração, ajudar em tratamentos de gripes e resfriados, previnir derrame e a formação de pedras na vesícula e nos rins, normalizar a função da tireóide, regenerar a pele, rins. Tradicionalmente, o chá é visto como um estimulante suave, pois o seu teor moderado de cafeína favorece a vivacidade mental. Como o café (Coffia arábica), tem sido usado como remédio para as dores de cabeça, embora, neste caso, o café seja provavelmente mais eficaz. O chá aquece e tonifica, sendo apreciado pelos que trabalham ao frio. Deve ser evitado na síndroma pré-menstrual pois a cafeína leva ao agravamento dos sintomas e não ajuda durante a menopausa, pois pode aumentar os acessos de calor. Como é adstringente, o chá é um remédio simples e útil para a diarreia; os polifenóis que contém combatem a infecção e tonificam o revestimento interior do intestino. Na medicina tradicional chinesa, é combinado com outros remédios para tratar diarreia e disenteria. Para olhos cansados, irritados e inchados, coloque sobre o olho (fechado) uma saqueta de chá húmida ou um pedaço de algodão embebido em chá verde frio uns minutos. Este método serve também para combater infecções dentro do olho, nomeadamente, para aliviar as dores c o desconforto da conjuntivite. Investigações recentes têm-se concentrado sobre os polifenóis antioxidantes e descobriram que estes ajudam a perder peso, combatem inflamações e têm uma acção anti-cancerígena e antitumores. Pensa-se que o elevado consumo de chá verde na China e no Japão é parcialmente responsável pela baixa incidência de cancro nesses países. O chá também parece reduzir a incidência de cáries.

    HIBISCO:

    Da família das Malvaceae. Também conhecida como agrião-de-guiné, azedinha, caruru-da-guiné, graxa-de-estudante, groselha-flor-roxa, groselheira, hibisco, hibiscus, pampola, pampulha, papoula, quiabo-azedo, quiabo-de-angola, quiabo-róseo, quiabo-roxo, rosela, rosele. Arbusto anual ou bienal, que atinge até 3 metros de altura, de caule pouco ramificado, glabro e de tonalidade vermelha. As folhas são alternas, simples, sendo as inferiores internas e ovadas e as superiores 3 a 4 lobadas, denstadas, de pecíolo longo e de coloração arroxeada. Essas folhas são suculentas e de sabor ácido, ligeiramente adstringente. As flores, sésseis,a xiliares, possuem coloração résea ou prupúrea, com pedúculo de cor vermelha. O conjunto de cálice e da corola formam a parte mais importante da planta, que popularmente é chamado de fruto, que é uma cápsula oval, com 5 lóbulos, revestida de pêlos finos e picantes, contendo em seu interior inúmeras sementes. Seus princípios ativos são: ácido ascórbico, ácido cítrico, ácido hibísco, ácido málico, ácido oxálico, ácido tartárico, antocianinas, carboidratos, delfinidinas, flavonóides (gossipetina, hibiscina, hibiscetina), mucilagem, oxalato de potássio. Já suas propriedades medicianais são: albuminóide, anestésica, aromatizante, antiescorbútica, antiespasmódica, aperiente, corante, digestiva, diurética, emoliente, estomático, laxante suave, vasodilatadora periférica. Indicado para dieta de emagrecimento, fortalecimento dos cabelos, espasmo gastrintestinal, espasmo e cólica uterina, má digestão, gastrenterite, hipertensão, constipação intestinal, falta de apetite, ativar a excreção da urina, infecções da pele, varizes, hemorróidas.

    SENE:

    Da família das Leguminosas, arbusto de flores amarelas cujo fruto é uma vagem achatada com 6 a 8 sementes. Também conhecida como Sene-da-índia. Caracteriza-se por odor fraco característico e é classificado de acordo com o tamanho e cor de suas folhas, sendo as verde-azuladas as melhores e as amarelas mais pobres. O sene é sobretudo usado para tratar a obstipação aguda e temporária e geralmente é eficaz. O momento mais indieado para a toma é à noite, pois os constituintes activos presentes na folha e na vagem irritam os músculos do cólon e geralmente causam a evacuação 6-8 horas depois. Normalmente, deverá tomar sene durante, no máximo, duas semanas. Se, passadas duas semanas, a obstipação persistir, consulte o seu médico ou fitoterapeuta. Para minimizar os riscos de cólicas, o sene deve ser combinado com um remédio relaxante, como a camomila (Chamomúla recutità), o funcho (Foeniculum vulgare) ou o gengibre (gingiber qfficinalis). Na dosagem adequada, c um remédio seguro. Pode ser tomado durante a gravidez e a amamentação, sendo o laxante preferido para aliviar a obstipação que costuma ocorrer durante a gravidez. São princípios ativos do Sene: glicosídeos dimericos cujas agliconas são compostas de emoldina de aloés e/ou de reina. A maior concentração é de senosídeos A e B, par de estereoisômeros cujas agliconas são diantrona de reina (senidina A e B). Pode ter uso pediátrico como laxante, para crianças acima dos 12 anos. Uso na gestação e na lactação: Sene é o "laxante estimulante" preferido durante a gravidez e a amamentação. A mobilidade uterina não foi estimulada por senósidos; Nenhuns dos carneiros alimentados com o leite materno apresentaram uma consistência anormal das fezes devido à ingestão de sene pela mãe; Há controvérsias no uso da sene na gravidez, Na Alemanha e Inglaterra ela é contra-indicada, sob alegação de que estimulação endometrial, mutagenicidade e efeitos genotóxicos foram documentados. Mas também pode ser contra-indicado para uso em pacientes com obstrução intestinal, diarreia, dor abdominal de origem desconhecida, desequilíbrio hídrico ou eletroplitico, doenças inflamatórias intestinais agudas, doença de Crohn e síndrome do cólon irritável.

© 2026 por Sete Luzes.