Japa Mala de Tulsi - Tulsi é a madeira mais adorada na Índia, dizem ser a reencarnação da Mãe Lakshmi, numa das suas visitas no plano terrestre, por isso a planta ser tão adorada. Este material é conhecido pelos poderes curativos da Alma e do Físico, e também da abertura á devoção e ao amor divino. Ligada a várias divindades, como Ram, Vishnu, Krishna, Radha e Lakshmi, esta Japa Mala tem diversas potencialidades energéticas, sendo os mantras mais ligados, Om Namo Narayanaya, Om Sri Ramaya Namah e Om Radha Krishnaya Namaha.

Imagens ilustrativas

Japa Mala Tulsi Mala (Branco)

REF: 1024812
R$30,00Preço
  • Japa Mala - O que é e como usar

     


    Primeiro de tudo, o que é uma Japa Mala? Uma Japa Mala é um cordão com 108 contas, que são utilizados para ajudar na contagem de orações ou entoações de mantras, sendo que existem de três tamanhos, as mais pequenas, de 27 contas, em seguida de 56 contas e a maior é a de 108 contas, a maior.
    O material de que é feito é muito diversificado, mas tem sempre grande simbolismo e também transporta a sua energia consigo, tal como a essência de mantras e seres específicos. O nascimento da Japa Mala é muito remoto na História da Humanidade, mas provêm da Índia, sendo a sua etimologia Japa (Recitação) e Mala (Cordão), é dado como um rosário espiritual. Este objecto sagrado foi trazido para o Ocidente pelos Romanos e como o nome Japa é muito idêntico a Jap (Rosa), deram o nome de Rosarium, que actualmente podemos ver nos ditos "terços", que toda gente tem, ou teve.
    As mais antigas e primitivas Japa Malas eram feitas de contas de sementes e madeira, de locais sagrados, actualmente podem também ser encontrados, mas muito mais trabalhados e com um grau de pureza maior, entre todos os materiais existentes podemos encontrar Japas com os seguintes materiais: Rudra, Sândalo, Semente de Lótus, Quartzos, Tulsi, Turquesa, Jade, Sementes de Bodhi do Nepal, Pérolas, Madeira de Rosa, entre muitos outros materiais.
     Cada material tem a sua energia espiritual, tendo mais ligação com certos tipos de divindades, mantras e energias.
    Ora, agora a segunda parte e a mais importante, como usar uma Japa Mala? O que devemos saber logo de raiz é que depois de a Japa Mala tocar na nossa pele, ela fica com ligação a nossa alma, é nossa e não deve ser emprestada a ninguém, é um objecto tão pessoal, pois vai carregar a nossa energia durante muito, mas muito tempo. Caso deseje limpar a energia que a Japa carrega lave-a com água do mar.
    Quando é utilizado a Japa Mala, em oração ou entoação de mantras, nunca devemos tocar nas contas com o dedo indicador (façam como está na imagem), sendo que o dedo polegar deve contar o mantra em cada conta e ser o único dedo a mexer nas mesmas. Começa-se sempre pelo Meru ou Coroa, a zona que tem os fios de tecido a cor vermelha, laranja ou outra cor, e deve dar a volta completa, no fim da volta se desejar continuar a fazer os mantras, deve fazer o mesmo trajecto mas ao contrário, ou seja, começar na conta que acabou, no final acaba na cabeça da Coroa, na conta que fica de fora.
    A recitação de mantras deve ser feita numa posição confortável, de olhos fechados e em voz alta, mas pode também fazer em silêncio ou fazer até no dia a dia, sem qualquer problema, pois manifesta a energia do plano divino na nossa Alma, imediatamente.
    Deve-se no minimo fazer 108 repetições do mantra, mesma que tenha uma Japa Mala de pulso, que são apenas 27 contas, deve repetir até chegar ás 108 repetições. Deve sempre guardar a Japa Mala num local seguro, limpo e sagrado, próprio para ela, pois a Japa Mala deve ser mais que tudo um objecto de grande valor, sagrado, e não um simples artefacto que passado uns tempos é deitado para o lado, é algo único e especial, por isso deve estar num altar ou num local que possa estar em contacto com a energia divina.
    A Japa Mala deve ser dada por um professor ou quando comprada, deve ser escolhida pela intuição, pelo o que o nosso coração nos diz, tal como o mantra que se adapta mais a nossa missão, lembre-se que é um trabalho conjunto entre a Japa Mala e a pessoa que a usa.

    Algumas das Japa Malas mais usadas:

    Japa Mala de Rudras - Esta foi a minha primeira Japa Mala, escolhida na altura em que fiz a iniciação em Atma Kryia. Liberta um aroma fantástico e um pó alaranjado, pois as Rudras são sementes de uma árvore sagrada que o Deus Shiva materializou, este aparece nas gravuras a segurar ou Rudras, ou uma Japa Mala de Rudras. Está ligada a uma energia destruidora, forte e protectora, e também ao Deus Shiva. O mantra ligado a esta Japa Mala é Om Namah Shivaya, mas lembre-se que o mantra é a pessoa que tem que o sentir, veja outros mantras que o possam ajudar.
     

    Japa Mala de Sândalo - A Japa de Sândalo é leve, mas feita de madeira da árvore sagrada da Índia, que é muito usada para fazer as estátuas das divindades, devido á sua ligação com a energia dévica. Também liberta um aroma muito suave e característico, dizem ser a fragrância que Deus nos deu para acalmar a mente. Na realidade esta Japa Mala ajuda a controlar a mente em meditação, e mais facilmente se entra num estado profundo de meditação com esta. Está ligada ao Deus Brahma, e os mantras indicados são o Om e Aham Brahma Asmi. 
     

    Japa Mala de Tulsi - Tulsi é a madeira mais adorada na Índia, dizem ser a reencarnação da Mãe Lakshmi, numa das suas visitas no plano terrestre, por isso a planta ser tão adorada. Este material é conhecido pelos poderes curativos da Alma e do Físico, e também da abertura á devoção e ao amor divino. Ligada a várias divindades, como Ram, Vishnu, Krishna, Radha e Lakshmi, esta Japa Mala tem diversas potencialidades energéticas, sendo os mantras mais ligados, Om Namo Narayanaya, Om Sri Ramaya Namah e Om Radha Krishnaya Namaha.


    Tais como estes existem muitos outros tipos de Japa Malas, é uma questão de pesquisarem e procurarem por um que "chame" por vós.
    Mais adiante, postarei uma lista de mantras que vos poderão ajudar em muitos pontos e aspectos e também, caso tenham a vossa Japa Mala, a encontrar o vosso próprio mantra, a trabalhar.

    Jai Gurudev

© 2026 por Sete Luzes.